IDOLO ALEMÃO LUCAS PODOLSKI ENCAMINHA MENSAGEM DE APOIO A SELEÇÃO BRASILEIRA
9 de julho de 2014
ALEMANHA X ARGENTINA PELA TERCEIRA VEZ NA FINAL DA COPA
10 de julho de 2014

CRÔNICA DE UMA MORTE ANUNCIADA

Vergonha infelizmente esse é o melhor adjetivo para qualificar o vexame que nossa seleção sofreu ontem (08/07/2014) no Mineirão más esse fim trágico vem sendo desenhado a quatro anos, para ser mais detalhista exatamente no dia 24/07/2010 foi traçado o primeiro rabisco deste que foi um dos maiores desastres do futebol brasileiro quando o senhor Ricardo Teixeira, nomeou como o novo treinador da seleção brasileira de futebol Mano Menezes e deu ao mesmo carta branca para iniciar o trabalho de reformulação da seleção deixada por Dunga logo após a Copa da África do Sul, o treinador escolhido não era uma unanimidade e foi muito contestado até por que não tinha um curriculum como outros treinadores que estariam na sua frente com melhores trabalhos em clubes de futebol.

Mano inicia sua caminhada a frente da seleção tentando por sua cara ou melhor a do Corinthians último clube que ele treinou e convocou vários jogadores de sua confiança, o primeiro grande baque se deu no dia 17/07/2014 na Copa América diante a seleção do Paraguai depois de um insistente 0x0 no tempo normal e na prorrogação o jogo foi decidido nos pênaltis e por incrível que pareça todos nossos cobradores (Elano, Thiago Silva, André Santos e Fred) perderam as suas cobranças e nós perdemos pelo placar de 2×0 na disputa por pênaltis, mesmo assim nada foi feito para mudar e veio as Olimpíadas toda expectativa para a conquista da medalha de ouro inédita até por que seleções tradicionais estariam fora da disputa e mais uma vez por capricho de nosso comandante por convocar mal a seleção principalmente as três peças com idade superior a 23 anos (Marcelo, Hulk e Thiago Silva) vimos nosso sonho ir por água abaixo e perdemos para o México uma seleção emergente por 2×1 na final e com isso a era Mano Menezes se encerra na seleção.

Com o fim da era Mano nos enchemos de esperança vários nomes foram especulados se fala até em técnicos internacionais como Josep Guardiola más o pragmatismo e o círculo vicioso mais uma vez imperou na CBF agora comandada pelo senhor José Marin e apostou no nome de Luiz Felipe Scolari para comandar a seleção apostando no seu passado vitorioso, passado por que o presente já não era tão vitorioso assim o mesmo tinha rebaixado o Palmeiras no ano anterior e como prêmio foi dirigir a seleção, ali o desenho que nós vimos ontem sendo finalizado ganhou forma, passamos por mais um processo de reformulação e teste de vários jogadores, chegamos na copa das confederações um pouco desconfiados más aos poucos fomos adquirindo confiança e fomos campeões até que jogando um futebol convincente vencendo seleções tradicionais do cenário internacional (Itália, Uruguai e Espanha), isso fez o oba oba tomar conta do pais e achamos que tínhamos uma seleção pronta para disputa da Copa do Mundo e o treinador passa a viver uma lua de mel com a torcida.

Avanço no tempo com esse meu comentário para um mês antes do início da copa do mundo com a convocação da seleção brasileira para disputa do mundial alguns nomes que viviam melhor momento (Miranda, Luis Fabiano, Philipi Coutinho) e outros que poderiam agregar com a sua experiência (Kaká, Robinho, Ronaldinho Gaúcho) foram deixados de fora por pura prepotência e arrogância do nosso comandante. Começa a Copa do Mundo e vemos que nossos adversários mais fortes na Copa das Confederações no ano de 2013 não eram tão fortes assim Itália e Espanha caem na primeira fase da copa e nossos problemas iniciam já na estreia contra Croácia são os últimos retoques do desenho, vimos em campo uma seleção dependente de apenas um jogador, sem variações táticas, sem centro – avante, sem preparo psicológico para disputa de um mundial em nosso pais com toda pressão da torcida e principalmente sem um comandante fato esse que ficou provado ontem quando a seleção Alemã iniciou o seu Show e o mesmo parecia não acreditar no que estava vendo ao invés de mexer no time para minimizar a derrota ficou anestesiado e assistimos o final da obra de arte iniciada em 2010 um final melancólico, vergonhoso e humilhante para uma seleção de tantas glórias e triunfos, esperamos agora que se junte os cacos e que as lições sejam tiradas desse triste episódio com uma escolha sensata do nosso novo treinador, planejamento seguido à risca, convocação de quem se encontra em melhor fase e um trabalho psicológico com quem vai seguir com a seleção pois os mesmos irão precisar.

Postado às 08:20

Comentários

Comentários

Rafael Noronha
Rafael Noronha
Técnico em Segurança do Trabalho, cursando o nível superior em Segurança do Trabalho, atuando como Coordenador da área em uma empresa de médio porte, amante de esporte e apaixonado por futebol.