O CAMPEÃO VOLTOU, ANDERSON SILVA VENCE MICK DIAZ

andersoln silva

“O campeão voltou”, gritava a torcida presente no MGM Grande Garden Arena, em Las Vegas, antes mesmo da luta principal do UFC 183 começar. Dentro do octógono, o maior lutador brasileiro de todos os tempos retornava depois de um ano após fraturar a tíbia, na mesma arena. Contrariando o tempo previsto pelos médicos. Contrariando boa parte do público. Assim, como num roteiro de cinema, Anderson Silva pode ter escrito a última linha de sua história de forma emocionante.

Enfrentando Nick Diaz, ex-campeão da categoria dos meio-médios do WEC e do Strikeforce, ambas organizações adquiridas pela ZUFFA, detentora do UFC, o brasileiro encontrou dificuldades para impor seu jogo no início do combate. Com o centro do cage dominado pelo americano, Anderson caminhava lateralmente a procura de uma brecha no jogo em pé de seu aniversário, que exagerou nas brincadeiras no round que abriu o duelo.

Minando Nick Diaz, que voltava de sua aposentadoria após dois anos longe do MMA, com bons jabs e cruzados que furavam sua guarda, o Spider retornava ao seu estilo, cada vez mais tranquilo ao passar dos rounds. Aplicando bons chutes na perna e no corpo, o brasileiro colocava um ponto final na desconfiança sobre sua perna lesionada. Era o início de sua vitória.

Era o triunfo do psicológico de um campeão. A luta a essa altura pouco importava. Era a verdade do maior de todos no UFC que se fazia ali presente. Depois de parecer abusar dele na primeira luta contra Chris Weidman, quando perderá o cinturão dos médios, foi a vez do aranha “fazer as pazes” consigo mesmo. Chorando de emoção após o anúncio de sua vitória por decisão unânime, Anderson Silva desabou no chão e, com as mãos em seu rosto, sentia novamente o gosto da vitória ao ser declarado vitorioso no confronto.

Apesar de vitória, Anderson deixa futuro no MMA em aberto

Em entrevista ao comentarista do UFC Joe Rogan ainda dentro do octógono, Anderson Silva, prestes a completar quarenta anos de idade no mês de abril, não foi preciso ao afirmar se continuará sua carreira como lutador profissional MMA:

“Essa vitória é pro meu filho, que pediu para eu não lutar. Mas isso aqui é o que eu amo. Agora é a hora de voltar para casa e ver o que será no futuro”, afirmou o Spider.

Fonte: Esporte Interativo – Postado às 07:35

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Editores

Sérgio Leandro

Formado em Administração de Empresas, Especialização em RH, Analista em Esportes.
 
Equipe formada por:
 
Enquetes

O desempenho do Brasil nas Olímpiadas Rio 2016 em relação a Londres 2012, 3 Ouros, 5 Pratas e 9 Bronzes vai ser:

  • Melhor (70%, 7 Votes)
  • Pior (20%, 2 Votes)
  • Igual (10%, 1 Votes)

Total Voters: 10

Carregando ... Carregando ...
Parceiros

Arquivos
Facebook Likes