EM JOGO EQUILIBRADO BRASIL CRESCE NO SEGUNDO TEMPO E VENCE NOVA ZELÂNDIA NA ESTREIA DA COPA DO MUNDO

CONFIANÇA FAZ GRANDE JOGO VENCE YPIRANGA-RS E ESTÁ A UM EMPATE DA SÉRIE B
31 de agosto de 2019
MVP DA NBA ANTETOKOUNMPO LIDERA A GRÉCIA EM VITÓRIA E EUA DERROTA A REPÚBLICA TCHECA
1 de setembro de 2019

EM JOGO EQUILIBRADO BRASIL CRESCE NO SEGUNDO TEMPO E VENCE NOVA ZELÂNDIA NA ESTREIA DA COPA DO MUNDO

Leandrinho foi um dos destaques da equipe na estreia da Copa do Mundo

Que estreia! O Brasil começou com a mão direita na Copa do Mundo de basquete 2019, que acontece na China. Em Nanjing, os comandados do técnico Aleksandar Petrovic sobraram a partir do terceiro quarto, despacharam a Nova Zelândia e garantiram a primeira vitória na competição. Agora, os jogadores se preparam para encarar a temida Grécia na sequência no torneio.

O Jogo

Como era esperado, o equilíbrio marcou o duelo. Até demais, eu diria. Do início ao fim, Brasil e Nova Zelândia brigaram ponto a ponto pela vitória, que seria importante para a sequência da chave na Copa do Mundo de basquete.

A Seleção Brasileira produziu muito ofensivamente ao longo do período inicial, preferindo a infiltração no garrafão. Rafa Luz teve participação efetiva lá na frente, tanto que anotou cinco pontos nos primeiros dez minutos. A Nova Zelândia, por sua vez, também pressionava, mas utilizava os arremessos de fora como principal arma. Melhor para o time verde e amarelo, que levou a vantagem mínima para a sequência do confronto: 21 a 20.

No retorno para o segundo quarto, o ritmo seguiu intenso. No entanto, Corey Webster chamou a responsabilidade para a equipe neozelandesa e virou bolas de três sem parar. Impressionante a liberdade que ele teve para chutar. Ao todo, o elenco acertou dez em 24 tentativas até aquele momento. O Brasil soube como segurar a pressão e manteve o alto nível. Na ida para o intervalo, 50 a 50.

A parti daí, a intensidade foi outra. Para a equipe verde e amarela, foi ainda maior. Aos 39 anos, Alex veio do banco na situação de dificuldade e deu show. Em atuação de gala, brilhou nas bolas de três, sendo fundamental para a virada da Seleção Brasileira. Além disso, a vantagem na contagem cresceu consideravelmente. Na terceira parcial, 28 a 12 na conta. No jogo, 78 a 62. Domínio completo.

Liderando com folga, o Brasil administrou a diferença para confirmar a vitória. A Nova Zelândia correu atrás do prejuízo, chegou até a encostar na reta final, mas nada que alterasse o resultado do confronto. Muitas faltas aconteceram no último quarto. Vitor Benite, inclusive, foi eliminado por exceder o limite. Triunfo na estreia e segue vivo o sonho de garantir a vaga olímpica: 102 a 94.

 

Fonte: Olimpíada todo dia – Postado às 07:30

Sérgio Leandro
Sérgio Leandro
Administrador de Empresas, especialista em Gestão de Recursos Humanos, Instrutor de cursos na área de Recursos Humanos e Departamento de Pessoal, atuando como Gerente de RH de uma Empresa de Médio Porte. Estudioso em futebol association e idealizador do Bolão Bola na Trave.