BASQUETE FEMININO FORA DA OLIMPÍADA, ALGO QUE NÃO ACONTECIA DESDE 1992

COM DOIS A MENOS, NÁUTICO SOFRE PRIMEIRA DERROTA NA TEMPORADA, PARA O BOTAFOGO-PB
8 de fevereiro de 2020
154 VITÓRIAS CONSECUTIVAS E QUASE 10 ANOS DEPOIS, TEDDY RINER É BATIDO EM PARIS
9 de fevereiro de 2020

BASQUETE FEMININO FORA DA OLIMPÍADA, ALGO QUE NÃO ACONTECIA DESDE 1992

Foto: FIBA

A missão era difícil: derrubar a seleção número 2 do mundo e, automaticamente, quebrar um jejum de 18 anos sem vitórias diante da Austrália. O Brasil teve uma postura bastante agressiva, especialmente no início do jogo. Mas faltou calibrar a pontaria e, no fim do último quarto, manter o controle emocional. Dessa forma, o resultado não veio, e a classificação para Tóquio 2020 também não. Derrota por 86 a 72.

O Brasil pagou caro pelos dois resultados negativos no início do Pré-Olímpico disputado em Bourges, na França, primeiro contra Porto Rico, quando perdeu por um apenas dois pontos (91 a 89) no duelo que, em teoria, era o mais tranquilo e, na sequência, diante da França (89 a 72). Dos quatro times da chave da seleção brasileira, apenas um não se garantiria para os Jogos no Japão. E essa equipe foi o Brasil. Avançaram, no fim das contas, Austrália, França e Porto Rico.

 

Fonte: Globoesporte.com – Postado às 17:10

Sérgio Leandro
Sérgio Leandro
Administrador de Empresas, especialista em Gestão de Recursos Humanos, Instrutor de cursos na área de Recursos Humanos e Departamento de Pessoal, atuando como Gerente de RH de uma Empresa de Médio Porte. Estudioso em futebol association e idealizador do Bolão Bola na Trave.